O Sindicato dos Bibliotecários no Estado do Rio de Janeiro teve sua origem na APB-RJ, cuja transformação, foi aprovada por unanimidade, pelos presentes à Assembléia de 15/08/1989. No processo de transição, a Diretoria da APB-RJ foi eleita como Diretoria Provisória, ficando à frente do Sindicato até 15/08/1990, quando da eleição da Primeira Diretoria. Uma Comissão Estatutária foi criada, então, com objetivo de elaborar o novo Estatuto, que foi aprovado, em Assembléia Geral Extraordinária em 28/05/1990. À época, o meio de comunicação do SINDIB/RJ era o MICRONOTÍCIAS que, no seu número de jan/abr de 1990, já falava da necessidade de um sindicato forte, pois contava com um número pequeno de afiliados, e que no "nosso caso quantidade é sinônimo de qualidade, pois jamais poderemos negociar com qualquer entidade se não representarmos efetivamente um número expressivo de profissionais". Naquela ocasião, havia 3.500 profissionais em atividade e já falávamos em piso salarial "é preciso que cada um de nós se conscientize da necessidade de união através do Sindicato, para que se chegue a ponto de se impor um piso salarial para a categoria no Estado". Como vemos, essa luta continua até os nossos dias!

A partir de 1991, o Sindicato passou a organizar os Encontros de Bibliotecários do Rio de Janeiro, encontros estes que se mantêm constantes até os dias de hoje, sempre com a preocupação de incentivar o profissional bibliotecário a que se aperfeiçoasse e se preparasse. Paralelamente aos Encontros mantivemos a "Bibliarte", onde nossos colegas bibliotecários puderam mostrar a sua criatividade através da pintura em quadros, porcelanas, tapeçarias, esculturas, artesanato e também da poesia. Nesse mesmo ano, o nosso "porta voz" passou a se chamar JORNAL DO BIBLIOTECÁRIO permanecendo assim até 1994, quando novamente teve o seu nome alterado para SINDIB NOTÍCIAS, visando atender mais especificamente as demandas da classe.

Em 1992, a nossa grande conquista foi a aquisição da nossa sede, local em que funcionamos até hoje, no centro do Rio Antigo, agora em processo de revitalização.

No ano de 1993 foi eleita a 2a. Diretoria do SINDIB/RJ e, em seu editorial de setembro de 1994, o Sindib Notícias chamava mais uma vez a atenção da categoria para a necessidade de mobilização dos bibliotecários em torno de seus órgãos de representação. Frisava também que não se tratava de "questão isolada da categoria dos Bibliotecários, mas uma atitude que vem permeando por toda a sociedade. O individualismo, fruto da descrença, da injustiça e da violência, tem se tornado cada vez mais exacerbado, ilhando as pessoas. Esquecemos o preceito básico de que é a União que faz a Força". Como é atual ainda essa idéia!

Naquele ano de eleições presidenciais, 1994, o Sindicato encaminhou aos candidatos à Presidência da República, subsídios para a implementação de um "Programa de Governo para o Livro e a Biblioteca".

Em 1995 foi criada uma "comissão pró-tempore" para viabilizar o desenvolvimento de trabalhos de interesse do Sindicato e a primeira tarefa dessa comissão foi elaborar o Regimento Interno do Sindicato.

Ao completar um ano de publicação, e estando o Sindicato enfrentando dificuldades financeiras para sua distribuição, o Sindib Notícias, graças a uma parceria com o CRB-7, pode entrar em contato com a totalidade da categoria no Estado. E, como resultado de uma grande campanha de mobilização para filiação realizada à época, obtivemos uma expressiva adesão, possibilitando que o nosso jornal logo voltasse a ser totalmente patrocinado pelo Sindicato.

Em 1997 foi eleita a 3a. Diretoria, cujas principais atividades para a classe foram a realização de um ciclo de palestras, em parceria com a Biblioteca Pública, a implantação de um novo software de controle dos afiliados, o inicio da cobrança da trimestralidade por meio do boleto bancário e a nossa participação em diversos fóruns e reuniões nacionais e regionais, onde a participação do Sindicato em diversos debates trouxe-lhe maior visibilidade.

Em 1998, o processo dinâmico por que passam as mídias exigiu que, mais uma vez nosso jornal mudasse de estilo e lay out recebendo o título PaginAção. Em seu editorial voltava a falar da necessidade de ampliarmos o nosso quadro de associados, pois em um universo de 4000 bibliotecários, apenas 800 são filiados e somente 200 encontram-se em dia com suas contribuições ao Sindicato.

Em sua 4a. Diretoria, eleita em 2000, continuamos a lutar por um sindicato forte, coeso, em busca de mais afiliados. Foi criada a nossa "home page", canal mais dinâmico e aberto a todos os profissionais da categoria. Através do nosso Banco de Currículos, temos conseguido recolocar vários profissionais no mercado de trabalho, ampliamos o número de convênios, temos participado de reuniões com os Governos Estadual e Municipal sobre o Plano de Carreira do funcionalismo, embora ainda não tenhamos obtido resultados concretos.

Temos ainda muito trabalho a fazer, por exemplo, expandir nossa ação pelo interior, traçar o perfil do bibliotecário no Estado, conhecer melhor as reivindicações dos profissionais, eleger delegados sindicais em locais onde haja maior concentração de bibliotecários, dispor de informações estatísticas sobre a categoria: número de profissionais empregados,de autônomos, de desempregados ou alocados em outras áreas, para citar apenas alguns dos itens que se encontram em nossa agenda. Um desafio é colocar em prática a idéia de se abrir o sindicato a outras áreas assemelhadas, Arquivistas e Museólogos, precisando para tal a concordância dessas outras classes de profissionais e a aprovação da nossa categoria através de assembléia.

Nossa força e representatividade dependem da participação de cada um de nós, sindicalizado, e a adesão de todos é fundamental para alcançarmos sucesso em nossa empreitada.